Cólicas? Não precisamos sofrer.


O período menstrual pode ser super tranquilo para algumas meninas de sorte, mas é um verdadeiro tormento para outras, o que as leva frequentemente a perder aulas, deixar de praticar esportes ou de sair de casa. Cólicas, dor de cabeça, TPM... Esse pacotão não precisa atrapalhar a nossa vida.


A cólica é uma dor no andar inferior da barriga (abaixo do umbigo), que pode irradiar para as pernas, costas e pode ser acompanhada por dores de cabeça, intestino solto ou preso, enjôos e vômitos. Em casos mais intensos, há meninas que chegam a apresentar tonturas e desmaio. Geralmente começa cerca de 1 a 2 dias antes do início da menstruação e se estende nos primeiros 2 a 3 dias dela.


A grande causadora do estrago é uma mediadora química chamada prostaglandina (nome de vilã de novela, fala a verdade!). Ela é produzida quando nós ovulamos (ou seja, beeem antes da menstruação) e agem no músculo das paredes do útero, causando contrações. Essas contrações são importantes para que o útero consiga expulsar o sangue menstrual, mas em algumas meninas o organismo acaba exagerando na dose. As prostaglandinas também causam todos aqueles sintomas que vêm de brinde (alterações do intestino, enjôos, vômitos, dor de cabeça...)


Em adolescentes, a causa mais comum das cólicas é a ação dessas substâncias, ou seja, a menina não tem nenhuma outra doença que levaria a essa dor, ela seria consequência do funcionamento “normal” do organismo. No entanto, há doenças que podem causar cólicas, como malformações uterinas, miomas, doença inflamatória pélvica e endometriose. Embora sejam menos frequentes nessa faixa etária, sempre que uma menina procura um ginecologista devido a dores intensas, essas causas devem ser investigadas. O diagnóstico de endometriose em adolescentes ainda é pequeno, mas vem aumentando em ritmo acelerado nos últimos anos, e por isso no futuro faremos um post só sobre essa doença.


Embora cólicas e TPM (tensão pré-menstrual) sejam coisas diferentes, essas amiguinhas gostam muito de andar juntas. Para saber mais sobre TPM, clique aqui.


Mas o título do post é “Não precisamos sofrer”. Então, não soframos, meninas! O que podemos fazer para acabar com as cólicas?


O uso de medicamentos é bastante eficaz, pois eles combatem as cólicas em todas as suas fases. Temos antiinflamatórios (que reduzem as prostaglandinas), anti-espasmódicos (que diminuem as contrações uterinas) e anticoncepcionais (que evitam a ovulação). O uso de uma categoria isolada ou a associação delas resolve a grande maioria dos quadros; procure um ginecologista e ele te ajudará na melhor escolha para o seu caso.


E nem só de remédios sobrevive a mulher, já dizia minha avó. Algumas plantas já tiveram algum efeito comprovado contra cólicas, como a “agoniada” (Himatanthus lancifolius), camomila (Matricaria recutita), canela (Cinnamomum verum), angélica chinesa ou 'dong quai' (Angélica sinensis), alcaçuz chinesa (Glycyrrhiza uralensis), peônia branca (Paeonia albiflora) e funcho (Foeniculum vulgaris). Compressas ou banhos quentes também ajudam bastante no alívio da dor, e acumpuntura e ioga também já provaram ser bastante eficazes.

Em destaque
Posts Recentes
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square